quinta-feira, 26 de março de 2009

Uma estória fácil de acontecer.


Era gostoso lembrar aquilo, por isso ela vivia em eterno estado de relembrança. Aconteceu numa segunda-feira que brilhava forte. Ela pressentiu que não seria um dia comum, e realmente não foi. Ele puxou assunto, conversaram, riram. E ali nascia uma estória fácil de acontecer, mas difícil de se concretizar.

Sim, a timidez e o medo de rejeição construíram um muro entre a realidade e o sonho. A amizade estranha que cresceu imediatamente, no entanto, aproximou-os de forma imprevisível. Ele trazia paz para ela. Ela era uma grande incógnita pra ele, que mesmo tendo paixão por números, não conseguia desvendá-la. Quando juntos, discordavam bastante. Ah, Deus, eles discutiam tanto que era impossível não perceber o quanto se gostavam! Depois, cansados de brigas, concordavam em um gesto de carinho. E o tempo parava para um abraço daqueles cheios de palavras não ditas, cheio de segurança, cheio do amor que eles nem sequer sabiam que existia.

Como passaram tanto tempo sem se conhecer? Bom, não sabiam, mas enquanto o tempo não os traísse, aproveitariam o quanto pudessem. E brincavam brigando. Brigavam brincando. Engraçado que se gostassem tanto, em tão pouco tempo, sendo tão diferentes. Sim, porque nisso há unanimidade: um era quase o avesso do outro. Ele era seguro, despreocupado, tinha muitas histórias pra contar, era irredutível em alguns casos. Ela era insegura, preocupada demais com um mundo nas costas, poupada de grandes aventuras, aberta aos diálogos, dificilmente aceitava respostas prontas. Mas sempre se entendiam com um sorriso silencioso e sem jeito.

Ela o achava irritante. Ele a achava estranha. Depois, o tempo os traiu e houve uma despedida. Uma despedida com cara de um 'até logo' de vizinhos. E eles não se viram mais. Ah, se ela soubesse que ele, de longe, preocupava-se demais com a garota estranha! Se ele soubesse que ela sonhou com o garoto irritante, e que pensava nele e sorria quando fechava os olhos pra dormir!



Palloma Soares.

14 Comentários:

Br.Bozo disse...

Essa minha Pahzinha!!!

Escrevendo coisas belissimas!!!
Passei tempos perturbando pra ela postar hehe

e vi q tinha razão

O texto passa aquele coisa
De complemento um do outro...
Uma coisa meio filme..
hehehe

Pedro Witchs disse...

Aaaaaaaaaaaah D:
Acho que tu deve imaginar o que esse texto me passou, né? i.i
De qualquer forma, foi bom porque dá pra sentir que mais pessoas passam por isso.
E eu também perturbei para postar isso huehuehuehue :3
Muito bom, Pah! Muito bom!
Produza mais coisas para que eu possa visitar esse ambiente e descansar meus olhos nas tuas palavras.
Te amo, minha pombinha!

Carol_CRC disse...

Ah...
mt tempo que nao venho aqui!
Deparei-me com um texto lindo!
Adorei mesmo...
queria uma dessas na minha vida!
Beijos e boa semana

lagartaandante disse...

Eu estava com tanta saudades disso!
Sempre tão certa não é MINHA CLARICE?
Tocou esse meu músculo de contração involuntária como sempre,minha pequena Pah.
Amo vc.

Jacque disse...

UAU que texto lindo....
Lindo mesmo.
Parabens!!!

Vou linkar ok?

bjo

Lisa disse...

Assim, não que eu não curta poesias ou rimas, mas ainda prefiro textos com historias, mesmo as sem muito nexo [ o que não é o caso do texto da Palloma, que tá muuuuito bom e gostoso de ler ]. Aprendi a não gostar das rimas - elas não gostam de mim. Sempre se perdem ou não se acham e me deixam em maus lençóis. Por isso meu grande problema com minhas composições musicais.
Mas enfim, sobre o blog no geral... Tem um colorido, uma áurea bem Lucas, gostei. Acostumo com suas rimas com o tempo, elas são legais.
[sei que vc não me pediu opinião de nada, mas eu tô aqui, como uma boa fofoqueira =d]

Frequentarei e colocarei o link no meu blog, ok? ok.

Beijo, meu duença. ♥

nica, disse...

Texto lindão mesmo, eu que estou na minha semana carentééérrima quase chorei. D:
Amei o blog, viu? :D

Nayi Paz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
chrysflorzinha disse...

Depois, cansados de brigas, concordavam em um gesto de carinho. E o tempo parava para um abraço daqueles cheios de palavras não ditas, cheio de segurança, cheio do amor...

Perfeiitoo *-*

E eu ja disse e repito: Ainda vou ler um livro teu, e quero autografado tah?!

Parabens, de novo, GAROTA!!!

Muito bom mesmo. =]

Gabriela disse...

como arroz e feijão, é feita de grão em grão nossa felicidade! :D'
te lovu fusca!

Mariana Lopes disse...

OMG, chorei oceanos com o post, que perfeito. sei lá, me fez lembrar de umas coisas HAHAHA' adorei!
o blog ta maravilhoso, to seguindo :)

ascka disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ascka disse...

Clichê como o próprio amor, que vive se repetindo pelas esquinas.

Jessica Mellish disse...

adorei muito, muito mesmo.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO